segunda-feira, agosto 09, 2004

Fahrenheit 11 de setembro (2004)



Um filme tendencioso de Michael Moore.
Não que isto signifique que aquilo que ele nos apresenta não seja verdadeiro ou digno de atenção, mas o que temos é uma visão bastante parcial da situação. A proposta de Moore é a de evitar a reeleição de Bush e creio que, para isto, o documentário tem força bastante para convencer alguns eleitores indecisos.
Em nenhum momento vemos a parcela de culpa de Blair na Guerra do Iraque, tampouco somos informados dos abusos de Hussein enquanto presidente-ditador. Farenheit é um ataque declarado aos "Bushes", pai e filho. A grande crítica de Moore não é tanto contra a guerra (mas certamente que também é contra a guerra), mas sim contra a política americana de gastar bilhões de dólares em defesa militar, enquanto que a taxa de desemprego aumenta diariamente.
É um filme que deveria ser assistido, principalmente, pelos norte-americanos, pois as vendas que os cegam precisam ser desatadas. Até agora, a principal fonte de informação que eles possuíam eram as grandes redes de jornalismo, as quais apresentavam suas visões tendenciosas e, em sua maioria, pró-Bush.
A verdade, se é que há alguma, está entre a visão de Moore e das fontes oficiais de informação. Cabe a nós a tarefa de tirarmos nossas próprias conclusões.

4 comentários:

Anônimo disse...

Peguei o link no Orkut e achei bem interessante a proposta do Blog, boa sorte! Eu e alguns amigos temos um site sobre cinema, se tiver um tempo visite: www.planoaplano.kit.net

abs,
Paulo

Marcos disse...

Meu companheiro são todos inocentes né?(Bush, Blair e os ingleses desde "Gandhi", Bin Laden,Lula e o dinheiro da sua família que em 8 anos têm + ou - 100 milhões de Reais, etc...). Quer ver 1 documentário interessante:"zeitgeist", se é fato ou não; sabemos que o poder absoluto corrompe absolutamente e os fatos podem até ser piores!!

Henrique disse...

o que voce diz é uma vergonha, Bush sabia com antecendencia do ataque e não fez nada para salvar aqelas milhares de pessoas Moore é um gênio

Alfeu Matera disse...

.: Algo de muito interessante nisso tudo é que existe a equivocada idéia de que o filme demonstra que o próprio governo Bush forjou e planejou os ataques terroristas de 11 de setembro. Isso aumentou a polêmica entorno do filme e contribui para que se fortalecesse a idéia de que o filme era uma fraude total. O filme em momento algum tem a intenção de demonstrar isso. Como foi explicitado acima, o que o filme demonstra é que Bush e uma parte podre da política norte-americana se aproveitaram dos ataques terroristas de 11 de setembro para inventar a guerra do Iraque a fim de lucrarem com ela. E efetivamente tiveram, mesmo, um lucro político, ao dar uma resposta imediata e “satisfatória” a seus compatriotas, e um lucro financeiro estratosférico, pelas ligações que tinham com a indústria da guerra, bem como com os gananciosos empresários do ramo petrolífero. Não deduziram, porém, de seus lucros, as grandes perdas humanas e o sofrimento dos estadunidenses impingido pela cultura do medo instituído por Bush.

Visite meu blog: www.tvcinemaeafins.blogspot.com